quarta-feira, 13 de maio de 2009

QUE...

Que o sonho de ser eu

me aconchegue

Ao teu olhar

irrequieto

Metade de mim

é agua,

a outra metade

deserto

 

Que todos os ventos

de mudança

Se soltem

em gritos universais

Metade de mim

é mar,

a outra metade

teus sinais

Sfsousa/olharomar

Um comentário:

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Muito lindo poema.

Pensamos demasiadamente
Sentimos muito pouco
Necessitamos mais de humildade
Que de máquinas.
Mais de bondade e ternura
Que de inteligência.
Sem isso,
A vida se tornará violenta e
Tudo se perderá.

(Charles Chaplin)

Hoje passando para desejar um final de semana com muito amor e carinho.
Abraços do amigo Eduardo Poisl.