quarta-feira, 18 de junho de 2008

Dança



E eis que a vez da nossa dança chega,
nesta noite de todas as noites
peguei em teus braços e corpo e rodopiei,


os sentimentos á flor da pele
neste aconchego que são os nossos corpos,
atraindo todas as melodias da sala,
rodopiamos em passos arrepiantes,
passos arrojados e destemidos
de tão cadenciados que não entendo


olharomar

4 comentários:

Helga disse...

A dança desbrava os anseios, acerta os desejos... Uma atração de compassos e passos emocionantes, relaxantes, delirantes...

Bela descrição desse momento!

Uma onda enxarcada de admiração do lado de cá pra você!

Abraço ;)

Helga disse...

Serafim,
Tuas palavras caíram como plumas aos meus olhos. Perpetraram melodia aos meus ouvidos. Lançaram sensação gratificante ao meu coração. Guardadas com carinho serão entre meus pensamentos. Obrigada! Realmente, exercer jornalismo é o que anelo no momento. E está perto. Até parece que você sabe o que ocorreu comigo neste dia. Caso dê certo, compartilho com você a boa notícia.

Uma onda perfumada de brisa chegue à janela do seu coração...
Deus te abençoe!

Abraço ;)

Leonardo Barros disse...

Belo!!!
Seu poema é ritmado,realmente faz referências à dança!!!
Belo!!!


Parabéns!

Kitty disse...

..."Neste céu de loucuras e magias, onde quatro mãos se encontram para amar, o olhar é o diapasão que afina os ritmos desta sonata, que a dois, vamos compondo, na pauta dos nossos sonhos. Nos instantes em que nos entrelaçamos, fechamos os olhos, e seguimos a sintonia do desejo, qual imensa orquestra de emoções, tocando de improviso e sem maestro, a mais bela das músicas, até hoje inventada"...

Tenha um ótimo comecinho de semana!
Beijo!