domingo, 25 de maio de 2008

Gostava de falar de amor

Depois do jantar habitual e regular com os amigos, eis que chego a casa, tarde por sinal, cansado mas com vontade de algo escrever e com todos na cama, me dou comigo a divagar, sem saber o quê mas a escrever e, de algumas coisas escritas, que ficarão por postar, aqui vai o primeiro, realizado por volta da 01:20 deste novo dia que se avizinha, 25 deMaio, cinzento e negro, de chuva bafejado, mas não esmoreço e antes de me deitar eis que ganho coragem e finalmente escrevo e aqui posto parte do que agora escrevi, o resto certamente será postado, um dia...


Gostava de falar de amor,
daquele amor que não se vê,
nem se pode esquecer,
daquele amor que não sabemos como
mas ele aparece,
aparece sem que te apercebas,
aparece sem saberes que existe,
é esse amor que um dia quando sais de ti
encontras na rua,
no sorriso de todos,
em cada gesto desprendido,
é amor quando não passas nesta calçada
mas eu oiço teus passos,
esse amor que nos toca a todos
e não é possível recusar,
é amor de musica composto
sem saber que notas tocar

sfsousa/olharomar

8 comentários:

Kitty disse...

Ao compasso dos teus passos obrigo os meus pés a seguirem os teus.
Ao balançar do teu corpo ajusto o mover do meu.
O entrelaçar de mãos e o encostar de faces ao de leve
Pela primeira vez, produz uma indizível sensação de vitória
Sobre a timidez e de ultrapassagem da inocência da nossa primeira dança.
Nas ondas da música, todos os sonhos são permitidos
Quando acordam novos sentidos motivados por um contato
Que nunca até aí tinha sido tão íntimo.
Um ligeiro arrepio percorre-nos em simultâneo
Ao tomarmos consciência da proximidade proibida no silêncio,
E meus olhos perdidos nos teus sussurram-te palavras que só tu conheces. Que só tu entendes.
Prometem-te danças pelas ruas,
pela vida
sempre...

(Maria Branco)


Beijos repletos de carinhos!

Helga disse...

"Amar é…
Sonhar o sonho de quem sonha com você
Viver a razão da emoção de ser para viver
Transformar a vida em versos e inversos para te ter
Cantar as notas do universo para não te esquecer
Lembrar para sentir saudades de um dia abraçar você."
(H.R)

A inspiração é abrupta e nos enlaça como o esplendor da aurora. Simplesmente brilha, sem nos pedir licença. Concorda?

De vez em quando, arrisco escrever alguns versos. Quando puderes, visite meu outro blog: "Reticências Poéticas...", criado pouco depois do "Verblogando". Serás muito bem vindo!

Uma onda de paz inunde teu dia e te encha de alegria!
Deus te abençoe.

Abraço ;)


http://reticenciaspoeticas.wordpress.com
http://verblogando.wordpress.com

Patrícia disse...

E o amor sempre nos inspirando!
Lindo seu canto, poesias e imagens..parabéns!!!
E obrigada pela visita :o)

Patrícia disse...

E o amor sempre nos inspirando!
Lindo seu canto, poesias e imagens..parabéns!!!
E obrigada pela visita :o)

Sonia Regly disse...

Amigo,
Gostei muito desse poema, vou publicá-lo lá no Compartilhando as Letras, confira!!!!! Lindooooo!!!!

Etelvina de Oliveira disse...

Vi esse texto no blog da Sônia.
Amei.
Posso postar no meu blog poemas seus?

Esse seu poema me fez lembrar

Daquele tipo de amor
sabe qual?
o amor que nos fica gravado
na pele
não do lado de fora,
mas naquela fina camada que separa a gordura do músculo
talvez por isso
mesmo quando ninguém mais o vê
eles nos toca
incomoda
se acomoda
e não nos deixa
esquecer.


beijinho
Etelvina

Olhar o mar disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kitty disse...

É...vc tem esse dom de me perceber, sentir...

Beijo!