segunda-feira, 21 de abril de 2008

Portugal - 25 de Abril


Hoje resolvi postar algo que escrevi em 23 de Abril de 1999 e hoje, nesta ocasião, sinto fazer sentido:

Portugal país de marinheiros
Que um dia se fizeram ao mar
Embebidos em laços de areia e vento
Procurando novas saudades,
Raiando novos tormentos,
Fugindo do seu próprio seio
Que murchava desgastado
Desesperado por sangue novo,
À vela, a nado, em frente
Seguia insistentemente
O coração grande dum povo

Muitos foram o que delapidaram a sua nobreza,
Recalcaram os seus sentidos,
Paralisaram a sua vontade,
Imensas agressões lhe deram ânimo e certeza
Que um dia, com a chegada da aurora e da verdade
Soltaria livremente os seus filhos e seus medos
E tranquilamente, voaria para a liberdade

Sem ser escritor ou poeta nascido
Algo surgiu do meu pequeno nada
Escrevendo sem ser leve ou subtil
Deixo o jornal vagamente lido
E à esperança, ao futuro, a tudo,
Eu dedico Abril

Pensei ainda, que mais escrever
Se tudo o que tinha de ser dito, assim foi,
Penso em tudo que estas gerações,
Nascendo sem saber o bom que é, o mau que foi,
Restar-lhes as lembranças mal contadas,
Vezes sem conta por ninguém
Cuja memoria no tempo se perde
Das formas que mais convém.

A passo dado com a vida,
Seguimos caminho adiante
Abrindo nossos corações ao mundo,
Relembrando velhos tempos
Que um dia nos fez navegantes
E com esse mesmo espírito ardente
De poetas, cantores, artistas, artesãos,
Todos seremos finalmente
Amigos de todos e de todos a
mantes.

sfsousa(olharomar)

6 comentários:

Sonia Regly disse...

Cheguei até aqui através de Blogs de amigos.Seu Blog é muito bom, cheio de coisas novas e culturalmente dá um banho!!! Vim te convidar a conhecer o Compartilhando as Letras, sua visita muito me honrará.

Olhar o mar disse...

Obrigado pelo seu comentario
é um prazer receber palavras de alento que nos motivam a continuar a escrever e nos dão força para a vida.

Receba uma onda de amizade deste lado do mar.
olharomar

Kitty disse...

Obrigada pela visita...Já estava sentindo sua falta...

Quisera eu ouvir o mar quebrando...

Beijos com carinho

Sonia Regly disse...

Obrigada, fiquei toda alegre com seu comentário e com sua visira.Volte sempre!!!! Pra mim é uma honra recebê-lo!!! Estou começando com o Blog agora, tenho muito que aprender,sinto algumas dificuldades ainda.Mas está sendo uma ótima terapia, tenho aprendido muito.Agradeço seu comentário, obrigada pela força.

Helga disse...

Sinceramente, não há palavras para decifrar o que senti ao ler seus versos tão belos. Magníficos! Percebo que já vem de longas estradas. Parabéns!
Arrisco alguns rabiscos poéticos, mas ainda chego lá.
Maravilhoso passear meus olhos por essas linhas de essências tão marcantes. Senti, apaixonadamente, cada letra em meu coração.
Desculpa a emoção... (sem demagogias)
Felicidades!

P.S.: Este post me fez lembrar um poema, de minha autoria, sobre a língua portuguesa.

http://verblogando.wordpress.com
http://reticenciaspoeticas.wordpress.com

Sonia Regly disse...

Já coloquei o poema.Dê uma passadinha para ver como ficou bonito.Obrigada!!!